EPA

EPA

O projeto Educação Patrimonial e Artística (EPA) promove o desenvolvimento de ações essenciais para o exercício do direito à cultura, para a defesa dos valores históricos e artísticos, com vistas à formação de uma nova mentalidade cultural e ao estímulo das práticas culturais de identificação, reconhecimento e preservação do patrimônio cultural baiano; contribui para avivar o debate sobre as questões patrimoniais e incrementar as práticas culturais no campo da história, da arte, da juventude e do patrimônio, com vistas à preservação da memória cultural e à democratização dos saberes e dos espaços históricos, assim como à apropriação da história e da cultura.
 
Com o EPA pretende-se: entender que a educação não pode estar dissociada da história, da memória, da cultura e do seu patrimônio, que está intrinsecamente associado à experiência da vida cultural e educativa; entender a dimensão patrimonial como prática cultural que consiste em uma prática artística e educativa; identificar o patrimônio como uma das possibilidades de interpretação de nossa história cultural; compreender a importância das diferentes linguagens artísticas para o entendimento das experiências cotidianas e, portanto, das práticas culturais e patrimoniais; aprimorar a estética do olhar (artes visuais, fotografia e arte em movimento), para o exercício das formas de percepção da vida cultural que nos rodeia e dos distintos tipos de patrimônios culturais; entender as distintas linguagens artísticas (visual, fílmica, literária, musical, entre outras) como parte do nosso patrimônio; vivenciar a experiência do belo e do lúdico na sociedade e nas escolas estaduais; reinterpretar a história, a cultura, a arte e o patrimônio da Bahia; garantir a apropriação da história e do patrimônio cultural.
 
Para a sua realização, foram desenvolvidas as seguintes estratégias: 1) sensibilização dos professores, diretores e estudantes das escolas; 2) aventuras patrimoniais e a construção de um álbum com os diagnósticos e os olhares fotográficos dos estudantes sobre o patrimônio baiano, para a criação de registros escolares e exposições dessas aventuras patrimoniais nas escolas e nas Direc; 3) Apresentação das aventuras patrimoniais do EPA estadual no Encontro Estudantil de ciência, arte e cultural.
Documentos

Notícias Relacionadas